Projectos e Actividades

  • Projecto FORMEI

     

     

    • Projecto de promoção da inclusão social de pessoas com deficiência facilitando, pela atribuição de bolsas de formação, o acesso a formação profissional de nível superior.

    O Projecto: formei formar para melhor entregar

    Parceria: Fundação Lwini, Chevron, Cinfotec, Inefop

    Destinatários: pessoas com deficiência ou incapacidade ( motora, visual, auditiva e cognitiva ligeira)

    Início: Agosto 2013

    Duração: 5 Anos

    Trata-se de um projecto de promoção da inclusão social de pessoas com deficiência facilitando, pela atribuição de bolsas de formação o acesso a formação profissional de nível superior .

    A formação concretiza-se através de um percurso formativo de dupla certificação que terá a seguinte estrutura curricular:

    • Formação para integração
    • Formação de base
    • Formação tecnológica
    • Formação pratica em contexto de trabalho.

    Cursos disponíveis

    • Curso de qualificação técnica designer gráfico
    • Curso de qualificação técnico de informática
    • Curso de soldadura por eléctrodo revestido

    Objectivos

    • Promoção de acções que visem a aquisição e o desenvolvimento de competências profissionais orientadas para o exercício de uma actividade  no mercado de trabalho
    • Potenciar a empregabilidade das pessoa com deficiência e incapacidades, datando as de competências ajustadas para o ingresso, reingresso  ou permanência no mundo laboral,
    • Promovendo a independência pessoal, financeira e social das pessoas com deficiência.

     

     

     

  • Projecto MIL AFECTOS

     

    Projecto MIL AFECTOS

    • Projecto para criação de uma rede de padrinhos que respondam a necessidades materiais (equipamentos, material escolar, vestuário, etc.) e afectivas de crianças com deficiência e/ou em risco.


    Clique aqui para ver o nosso vídeo promocional.

    Clique aqui para ter mais informações do projecto.

    Clique aqui para conhecer as nossas crianças.

     

  • “Juventude com NE Formada” - Sumbe – KWANZA-SUL

    Projecto apresentado pela Direcção da Assistência e Reinserção Social do Governo da Província do Kwanza-Sul destinado a proceder ao apetrechamento de um Centro de Formação Profissional Integrada para crianças e jovens com Necessidades Especiais.

    O Projecto

    Segundo informações constantes no documento enviado pela proponente, “o programa de alargamento da rede de trabalho e geração de renda da região do Kwanza-Sul passa pela criação de incentivos e oportunidades aos diferentes talentos da franja da sociedade” constituída por crianças, adolescentes e jovens com Necessidades Especiais (NE), vítimas de minas e mulheres dos meios rurais.

    Ainda segundo a mesma fonte, estas pessoas “possuem talento e condições psicomotoras” que poderão e deverão ser direccionadas “para o exercício de qualquer actividade” pela delineação de técnicas adaptáveis à sua condição física e visual.

    A Direcção da Assistência e Reinserção Social do Governo da Província do Kwanza-Sul, identificou como principal dificuldade à execução eficiente da sua intervenção, a inexistência de recursos que permitam inserir as mulheres e crianças, adolescentes e jovens com Necessidades Especiais, vítimas de minas nas acções de formação profissional, o que vem determinar a exclusão desta camada da população por se verificar uma incapacidade de participar em pé de igualdade com os diferentes membros da sociedade.

    O presente projecto foi delineado no sentido de dar resposta às necessidades de infra-estruturas de formação profissional nas áreas de Informática, Fotografia, Decoração e, Corte e Costura, “no sentido de se aproveitar racionalmente as oportunidades, capacidades intelectuais e a criatividade profissional das crianças e jovens com Necessidades Especiais, aumentando as projecções de micro-projectos empresariais geradores de rendimentos e, potenciando os formandos com os equipamentos necessários à realização da sua actividade pela capacitação nas áreas correspondentes.

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de Kz 2.343.967,30.

  • “Formar Quem Ensina” - Escola de Ensino Especial de BENGUELA

    Projecto apresentado pela Escola de Educação Especial de Benguela destinado a formar 35 professores primários, em cada um dos nove municípios de Benguela, o que perfaz um total de 315 professores, no domínio da Educação Especial e Integração.

    Serão beneficiadas, indirectamente, por este projecto cerca de 500 crianças em idade escolar a frequentar a Escola de Educação Especial e as Escolas Inclusivas da província.

    O Projecto

    A Direcção Provincial de Educação de Benguela em parceria com a Escola de Educação Especial de Benguela, pretende “alargar o leque de atendimento às crianças com Necessidades Educativas Especiais, durante o período que decorre entre os anos lectivos 2006-2015” para tal, propõem-se a formar 35 professores primários em cada um dos municípios de Benguela, o que perfaz um total de 315 professores formados, nos módulos Fundamentos da Educação Especial na Perspectiva da Inclusão, Surdocegueira, Deficiência Mental, Deficiência Auditiva, Deficiência Visual, Deficiência Motora, Superdotação, Perturbações do Espectro do Autismo e Transtornos Globais do Desenvolvimento.

    É neste âmbito que surge o presente projecto, delineado no sentido de procurar minimizar estas necessidades através da formação de professores de ensino primário em todas os municípios de Benguela; prevê-se que estes professores venham a ser multiplicadores nas comunas e que venham a contribuir para a promoção de estratégias de organização dos serviços educativos especializados fortalecendo assim o processo de inclusão dos alunos com Necessidades Especiais no sistema de ensino angolano.

    Este curso será realizado de modo a abranger todos os municípios de Benguela, sendo distribuídos os grupo do seguinte modo:

    • GRUPO 1: Benguela, Lobito e Baía-Farta (realizada em Benguela)
    • GRUPO 2: Cubal, Ganda, Caimbambo (realizada em Cubal)
    • GRUPO 3: Balombo, Bocoio
    • GRUPO 4: Chongorói

    Duração e Período de Execução: Este projecto teria a duração de dois anos, sendo realizado em 4 fases.

    Instituições Responsáveis

    Serão parceiras na realização deste projecto as seguintes entidades:

    • Fundação Lwini – entidade executora, ficará responsável pelo estabelecimento e execução de procedimentos facilitadores da prossecução de objectivos preconizados;
    • Cameron Systems Angola, Lda. – entidade financiadora da atribuição de ajudas técnicas à Escola de Educação Especial

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de Kz 13.875.478,65; Será financiado na totalidade com fundos próprios.

  • “Ferramentas para Aprender” - NACIONAL

     

    Trata-se de um projecto resultante da parceria estabelecida entre a Fundação Lwini e a Cameron Systems Angola, Lda. no sentido de serem distribuídos às escolas de educação especial equipamento e ajudas técnicas destinadas às crianças com Necessidades Educativas Especiais de ordem Sensorial e Cognitiva.

    O Projecto

    Ora se tivermos em conta que por questões socioeconómicas muitas são as crianças e jovens (com Necessidades Educativas Especiais) que não beneficiam destes programas, ressalta que caberá à sociedade a responsabilidade de prover os auxílios necessários para que a criança se capacite e se possa integrar no grupo social para que, no seu futuro, exista a possibilidade se tornar um adulto autónomo e auto-suficiente.

    Temos a obrigação e o dever de prevenir, diagnosticar e educar para mais tarde termos pessoas adultas que possam vencer barreiras, que as deficiências trazem e tornar-se cidadãos úteis, independentes, integrados e, sempre que possível, mais felizes!
    Em visita realizada à província de Benguela, no dia 26 de Junho de 2010, a delegação da Fundação Lwini, composta por Membros Curadores e tendo contado com a presença da sua Presidente e Instituidora, Dra. Ana Paula dos Santos, pode tomar conhecimento das necessidades da província no que refere a equipamentos especializados para diagnóstico, reabilitação e educação dos alunos com Necessidades Especiais que frequentavam as escolas da província, necessidades estas que se alargam às diversas províncias do país.
    Foi no seguimento desta visita que se deram início aos procedimentos no sentido de se desenvolver um projecto delineado no sentido de procurar minimizar estas necessidades através do fornecimento regular de equipamentos, ajudas técnicas e software facilitadores da aprendizagem e da realização de actividades de vida diária, às diversas escolas dedicadas ao educação e reabilitação de crianças com Necessidades Educativas Especiais bem como, do possibilitar o acesso precoce a estratégias de detecção de perdas de acuidade quer visual quer auditiva.

    Grupo-alvo

    Serão beneficiadas por este projecto cerca de doze mil (12.000) crianças em idade escolar a frequentar escolas de educação especial e escolas inclusivas do país que actuam junto das crianças com Necessidades Educativas Especiais do foro Auditivo, do foro Cognitivo bem como do foro Visual.

    Recursos Materiais

    Serão afectos a este projecto os seguintes recursos materiais:

    1. Para as acções dirigidas às crianças com Necessidades Educativas Especiais de foro Auditivo:

    • Ajudas para a Leitura;
    • Ajudas para a Audição;
    • Ajudas técnicas para a realização de actividades de vida diária;
    • Equipamentos para avaliação.

    2. Para as acções dirigidas às crianças com Necessidades Educativas Especiais de foro Cognitivo:

    • Software Educativo;
    • Ajudas para a Estimulação Multissensorial;
    • Ajudas técnicas de Acessibilidade Digital e Comunicação.

    3. Para as acções dirigidas às crianças com Necessidades Educativas Especiais de foro Visual:

    • Ajudas técnicas de ampliação electrónica (hardware e software);
    • Ajudas técnicas de ampliação óptica;
    • Ajudas técnicas de orientação e mobilidade;
    • Ajudas técnicas para a realização de actividades de vida diária;
    • Ajudas técnicas de voz e Braille (hardware e software).

     

    Instituições Responsáveis

    Parcerias - Serão parceiras na realização deste projecto as seguintes entidades:

    • Fundação Lwini – entidade executora, ficará responsável pelo estabelecimento e execução de procedimentos facilitadores da prossecução de objectivos preconizados;
    • Cameron Systems Angola, Lda – entidade financiadora, empregará os esforços necessários, junto dos seus parceiros, a fim de concretizar a execução dos projectos relacionados com as necessidades identificadas, incluindo os meios financeiros para a sua execução;
    • Ministério da Educação, INEE - entidade facilitadora, actuará como órgão de ligação entre a Fundação Lwini e as escolas que serão beneficiadas pelo projecto.

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de USD 475.403,26.

     

  • “Socorrer para Prevenir”

    De acordo com a Direcção Nacional de Viação e Trânsito (in Plano Nacional de Prevenção e Segurança Rodoviária de Angola) tem-se verificado, como resultado do significativo crescimento económico registado no país ao longo dos últimos anos, um acentuado crescimento do parque automóvel bem como das vias de circulação e das estradas que constituem a rede nacional e as redes das diversas províncias.

    Ainda segundo a mesma fonte, o incremento da mobilidade, instrumento indispensável para a melhoria da qualidade de vida das populações e para o desenvolvimento da produtividade, traz como consequência o agravamento do risco rodoviário que, no ano de 2009 comparativamente com o ano de 2008, se traduziu num aumento significativo quer do número de vítimas mortais (6%) quer no número de feridos (10%).

    Ora, se tivermos em conta que o acentuado aumento do parque automóvel determina o congestionamento das vias de circulação tornando difícil, se não impossível, o acesso dos meios de socorro aos locais de sinistralidade teremos como resultado um agravamento significativo das consequências dos acidentes e assim, um ferido grave poderá tornar-se numa vítima mortal por não lhe terem sido prestados os Primeiros Socorros no sentido de estabilização da vítima para posterior transporte para os hospitais/clínicas.Este ciclo de sinistralidade poderia ser minorado com a existência de pessoas habilitadas para administrar os Primeiros Socorros às vítimas de acidentes que não se cingem aos ocorridos nas vias públicas podendo também ocorrer no domicílio, com as minas terrestres ainda não desactivadas, na escola, nos locais de trabalho, etc.

    É neste âmbito que surge este projecto; trata-se de um projecto de promoção de três acções de formação em Primeiros Socorros, dirigido à população com deficiência, por ser um nicho da população válido que carece de acções de formação e habilitação que ajam no sentido de promover a pessoa com deficiência, tendo em conta as suas competências.

    Instituições Responsáveis

    Serão parceiras na realização deste projecto as seguintes entidades:

    • Fundação Lwini – entidade executora, ficará responsável pelo estabelecimento e execução de procedimentos facilitadores da prossecução de objectivos preconizados;
    • Cruz Vermelha de Angola – entidade formadora;

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de Kzs 2.500.000,00.

  • “Diagnosticar e Reabilitar” - Escola de Ensino Especial de BENGUELA

    Projecto apresentado pela Escola de Educação Especial de Benguela destinado a levar a cabo acções diagnóstico e reabilitação dirigidas a 150 crianças com défice auditivo, com idades compreendidas entre os 5 e os 10 anos de idade, residentes nos municípios de Benguela, Lobito e Baía-Farta, a frequentar Escolas Inclusivas.

     

    O Projecto

    Segundo informações constantes no documento enviado pela proponente, “a atenção especializada à pessoa com Necessidades Educativas Especiais passa por um processo de Identificação, Diagnóstico e Orientação” para que seja possível realizar-se uma avaliação e reabilitação integral da criança.

    O Gabinete de Identificação/Diagnóstico e Orientação Psicopedagógica da Escola de Educação Especial, identificou como principais dificuldades à execução eficiente da sua intervenção:

    • Elevado custo de próteses auditivas;
    • Insuficiência de técnicos em reabilitação auditiva;
    • Insuficiência em infra-estruturas, equipamentos de diagnósticos e equipamentos de reabilitação;
    • Insuficiência dos serviços de diagnóstico, reabilitação e acompanhamento.

    O presente projecto foi delineado no sentido de procurar minimizar estas necessidades através da melhoria de condições de trabalho dos técnicos de reabilitação, da atribuição de material reabilitativo e de ajudas técnicas para as crianças com Necessidades Especiais de foro Auditivo.

     

    Instituições Responsáveis

    Serão parceiras na realização deste projecto as seguintes entidades:

    • Fundação Lwini – entidade executora, ficará responsável pelo estabelecimento e execução de procedimentos facilitadores da prossecução de objectivos preconizados;
    • Ministério da Educação, INEE - entidade facilitadora, actuará como órgão de ligação entre a Fundação Lwini e as escolas de ensino especial que serão beneficiadas pelo projecto;
    • Cameron Systems Angola, Lda. – entidade financiadora da atribuição de ajudas técnicas à Escola de Educação Especial

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de Kzs 2.073.475,44.

  • “Lar do Luongo”

    Projecto apresentado pelo Lar de Deficientes Físicos do Luongo destinado solicitar material de apoio à educação e formação de jovens e crianças vítimas de poliomielite e, em situação de abandono familiar dirigidas a 90 crianças com deficiência motora, com idades compreendidas entre os 6 e os 20 anos de idade, provenientes de todos os municípios de Benguela.

    O Projecto

    Esta instituição existe há 26 anos, tendo uma estrutura física completa e bastante bem organizada que dá resposta às necessidades de educação, formação e reabilitação das crianças e jovens que ali habitam. De referir que as crianças/jovens frequentam o ensino regular até à 6ª classe, sendo posteriormente encaminhados para as escolas do município para ali frequentarem o ensino médio ou para a inserção no mercado de trabalho.

    A Direcção do Lar, identificou como principais dificuldades à execução eficiente da sua intervenção:

    • Elevado número de crianças atendidas;
    • Insuficiência de equipamentos de apoio à acção educativa;
    • Insuficiência de equipamentos de apoio à actividade agrícola;
    • Insuficiência de meios de transporte;
    • Necessidades de adequação de cadeiras de rodas.

    O presente projecto foi delineado no sentido de procurar valorizar as crianças e jovens com Deficiência Motora ajudando-os na sua formação académica e profissional, para recuperar a sua dignidade e, como cidadãos que são, usufruírem dos seus direitos e cumprirem os deveres que têm para com o País, por se tornarem parte integrante da população activa.

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de Kzs 2.073.475,44

     

  • “Viver de Novo de Pé” - Centro de Reabilitação Física do Negage - UÍGE

    Projecto destinado à requalificação do Centro de Reabilitação Física desta província responsável pela fabricação de próteses e ortóteses bem como, pela reabilitação de pessoas que utilizam estes materiais.

    O Centro de Reabilitação

    O Centro de Reabilitação Física do Negage tem uma abrangência regional possibilitando o atendimento a utentes das províncias de Kwanza-Norte, Zaire e Malange, para além da província anfitriã, o Uíge, localiza-se a 37 km de distância da capital de província e tem capacidade para atender até cerca de mil e cem utentes com diversos graus de Necessidades Especiais a nível Motor, estando especialmente vocacionada para o atendimento a ex-militares das regiões referidas.

    As pessoas que a ele se dirigem podem beneficiar de uma oferta de serviços de que, por falta de condições, de momento, se limitam a realizar pequenas reparações em próteses antigas apenas para aqueles que conseguem deslocar-se até ao Centro.

    Análise do Problema

    Segundo análises efectuadas pela proponente, concluiu-se que, por dificuldades de ordem financeira, são muitos os cidadãos com Deficiência Motora que se debatem com sérias dificuldades para encontrarem meios de resolução dos problemas relacionados com a reabilitação.

    O problema financeiro também se estende às instituições de reabilitação, e no caso destas, as implicações são sentidas a nível da renovação do equipamento, da possibilidade de transportação dos pacientes das suas áreas de residência para os centros e vice-versa bem como da redução gradual dos níveis de conforto para a permanência dos utentes dos serviços. Estes factores são motivo para a diminuição da qualidade da prestação de cuidados assistenciais.

    As Acções Realizadas

    O Centro de Reabilitação do Negage proporciona à população que a ele se dirige serviços de reparação e substituição de próteses e órteses, reabilitação física e assistência psicossocial tendo, actualmente, capacidade para atender 360 pacientes por ano, podendo receber em regime de internamento um número não superior a 30 pacientes.

    Desde a sua criação já reabilitou 1346 pacientes com amputação dos membros inferiores, 35 utentes de órteses e, já foram realizados 3885 tratamentos de fisioterapia.

    O Projecto

    A solução proposta pelo Centro de Reabilitação do Negage prevê apoiar os beneficiários através do desenvolvimento de actividades ou iniciativas que se prendem com:

    • Transporte das pessoas com Necessidades Especiais de e para o Centro;
    • Melhoria das condições de alojamento e alimentação;
    • Reabilitação física de acordo com o tipo de deficiência;
    • Tratamento médico e apoio psicológico e social.

    Para o efeito os beneficiários deste projecto receberão informação, aconselhamento e apoio psicossocial e, serão encorajados a desenvolver e/ou participar em projectos de reintegração económica e social.

    Instituições Responsáveis

    Parcerias Directas:

    • Fundação Lwini– entidade financiadora e supervisora, ficará responsável pela pesquisa e execução de procedimentos facilitadores da prossecução de objectivos preconizados bem como pela monitoria e avaliação da execução do projecto;
    • Centro de Reabilitação do Negage – entidade executora, ficará responsável pela execução do projecto bem como por realizar sínteses mensais do progresso, um relatório intermédio e um relatório final;
    • Ministério da Saúde, pela DPSU - entidade facilitadora, será responsável pela contratação da equipa técnica.

    Orçamento Geral: Para a realização deste projecto, está orçamentado o valor de Kzs 21.941.325,00.

  • OUTROS PROJECTOS

     

    Reedição da Biblioteca LWINI

    • Foi apontada a necessidade de alargar a faixa etária beneficiária, uma vez que os livros não eram adequados a crianças com idade inferior a 6 anos e superior a 12 anos bem como, a possibilidade de serem focados temas mais didácticos e ligados à formação cívica e, prever-se a inclusão de livros em Braille, para que também possam ser beneficiadas por esta iniciativa escolas para invisuais ou escolas inclusivas.
    • Tendo em conta a avaliação realizada, está a ser equacionada a reedição da Biblioteca Lwini prevendo-se a inclusão de livros de literatura juvenil. Ainda não existem dados financeiros sobre este projecto porque se encontra numa fase embrionária de planificação.

    Projecto “Esperança, Mobilidade e Liberdade”

    • Projecto realizado desde 2001.
    • Atribuição de cadeiras de rodas, em parceria com a CHEVRON e a WheelChair Foundation.

    Taça LWINI

    Núcleo de Micro-Finanças do Tômbwa

    Projecto “Internamento Agradável”

    • Apoio na melhoria das condições de internamento das crianças com Hidrocefalia que beneficiam de intervenção cirúrgica proporcionadas por técnicos da Associação de Espinha Bífida e Hidrocefalia de Angola.
    • Realizado em parceria com o Ministério da Saúde.